FIGUEIREDO, Violeta

De WikiEducacao

Imagem:Violeta_Figueiredo_2.JPG

Violeta Crespo Figueiredo, nasceu na Figueira da foz em 1947 e à cidade natal regressou após a aposentação relativamente precoce que lhe permitiu dedicar mais tempo à escrita.

Licenciou-se em Filologia Romântica na Universidade de Lisboa. Foi professora do ensino secundário e colaborou com a RTP. Fez investigação no domínio da literatura (folhetos de cordel), sendo presença na revista História com artigos variados sobre o século XVII.


Em 1979 começa a publicar literatura para crianças e jovens. Foi guionista das séries "Rua Sésamo e "Terra instável". Começou com textos curtos e de simples leitura, dirigidos aos leitores mais novos, para mais tarde começar a investir na novela centrada na aventura e no mistério, obtendo o reconhecimento da crítica literária. Em 1990 ganhou o prémio Verbo/semanário no género Literatura para a Infância e em 1991 o prémio Inapa/ Centro Nacional de Cultura. Dos Títulos que publicou destacam-se Fala Bicho (1992), A casa da floresta (1994), Os donos da praia (1996), A excursão dos Gambuzinos (2001)e tempo maluco (2003), etc.

As preocupações ecológicas emanam de numerosos títulos, materializadas no protagonismo de animais e na presença da natureza como no espaço privilegiado de acção. em dois livros de poemas deparamos com um humor saboroso, bem explorado, muito acessível ao leitor infantil.

Nesta linha, temos alguns contos que primam pela valorização do cómico, levando, pela leitura, à vivência de um mundo disparatado, mas divertido. Actualmente encontra-se afastada do ensino mas continua a escrever as suas obras são caracterizaras pela diversidade formal.


Obras publicadas:

Imagem:A_história_das_portas.JPG A história das portas, Editora Plátano, 1979.

Marilú, Macifú, Editora Plátano, 1981.


Imagem:Mistério_em_tempo_de_aulas.jpgMistério em tempo de aulas, Verbo, 1991.


Imagem:Eram_férias_e_havia_sol.JPG Eram férias e havia sol, Verbo, 1992.

Imagem:A_casa_da_floresta.jpgA casa da floresta, Desabrochar, 1994.


Imagem:Os_donos_da_praia.jpg Os donos da praia, Verbo, 1996.


Imagem:O_gato_do_pêlo_em_pé.jpg O gato do pêlo em pé, Editorial caminho, 1997.


Imagem:Fala_bicho.JPGFala Bicho, Caminho, Caminho, 1999.


Imagem:A_excursão_dos_Gambuzinos.JPGA excursão dos Gambuzinos, Edições Gailivro, 2001.


Imagem:A_verdadeira_história_da_formiga_rabiga.JPGA verdadeira vida da formiga Rabiga,Edições Gailivro, 2001.


Imagem:Gambuzinos_marinheiros.jpg Gambozinos Marinheiros, EDições Gailivro, 2002.


Imagem:Tempo_maluco.jpgTempo maluco, Edições Gailivro, 2003.


Imagem:Portões.jpg Portões, Porto Editora, 2008.

Imagem:Portas.jpgPortas, Porto Editora, 2008.


Sinopse do livro: Mistério em tempo de aulas, Verbo, 1991


Imagem:Mistério_em_tempo_de_aulas.jpg

Escolhi este livro, porque faz-me lembrar o imaginário da minha infância/adolescência e é uma história intemporal.

A principal personagem, chama-se Cecília. Esta história é passada em tempo de aulas, tem como referência uma turma do 8º ano, onde os rapazes e raparigas, vivem aventuras características da sua idade. Nas aulas haviam alguns rapazes que levavam a vida a incomodar os colegas, tanto nas aulas como nos intervalos. Fora do recinto escolar, a aventura era virada para a “vivenda dos meus encantos” , que despertava algum mistério e interesse para a Cecília e alguns dos colegas. Nessa vivenda, comentava-se que havia jibóias, que despertava ainda mais curiosidade por parte destes jovens, que tentavam descobrir o que realmente havia naquela vivenda. Os pais de Cecília, esperavam um bebé e ela não estava a aceitar bem a vinda de um irmão. Em casa, ela estava revoltada, porque não queria que os pais se desfizessem do quarto que era do seu avô António que já tinha falecido. Os pais por seu lado, queriam fazer um quarto para o irmão que ia nascer. Por isso, ela até dizia que detestava o irmão e também a mãe e o padrasto( Cecília era órfã de pai), mas não era verdade eram os seus ciúmes a falar mais alto. Num belo dia, Cecília recebe a visita, do seu avô Passos que tinha chegado da serra, viera ao Congresso Nacional de Monografistas. O Luís era um colega de Cecília, que viviam no mesmo prédio, por causa dos seus disparates fecharem -lhe o telefone ao cadeado, porque ele resolveu inventar um sinofunifone. Era uma campainha de latão e uma espécie de funil, ambos atados a um tubo. Era para montar da casa de Cecília até à dele. Este invento foi muito útil, no dia que tentaram assaltar a casa da Cecília. No final do livro, nasceu o irmão da Cecília. Esta, ficou muito orgulhosa quando a mãe lhe disse que o irmão era muito parecido com ela.´ É uma história deveras interessante, até porque tem um bocadinho do que fomos em criança e acima de tudo aborda os sentimentos que vagueiam na cabeça de qualquer criança ou adolescente.

Penso que uma das actividades para este livro seria: inventar mais uma personagem e obrigar as crianças a desenvolverem a sua criatividade escrita.





Fontes:

http://www.rb.mirandadocorvo.com/index.php?view=article&id=148%3Abiografia-violeta-figueiredo&format=pdf&option=com_content

http://bibliotecadaduminha.blogspot.pt/p/metas-curriculares-obras-e-textos.html

http://195.23.38.178/casadaleitura/portalbeta/bo/documentos/biblio_violetacrespofigueiredo_a.pdf

http://recursos.wook.pt/recurso?&id=1438575

http://195.23.38.178/casadaleitura/portalbeta/bo/portal.pl?pag=sol_la_fichaLivro&id=1985

Ferramentas pessoais